San Francisco - USA


PT


Hoje vou levar-vos até São Francisco, ''San Fran'' como dizem a maior parte dos meus colegas de trabalho num inglês abreviado ou ''Srisco'' como ouvi num filme que vos vou falar mais tarde. Ao contrário dos layovers em que só passamos um dia no país/cidade, aqui temos a sorte de passar dois dias, portanto deu para fazer, visitar e experimentar um montão de coisas.

Vamos começar pelo início.

Assim como já me tinham avisado antes de ir para o voo, este foi non stop, não paramos um minuto a não ser para o descanso obrigatório neste tipo de voos. Foi um verdadeiro voo para a índia mas em vez do sector ter 3 horas de duração foram quase 15, mas que facilmente tinha passado por um voo para a índia.

Como estava a voar com uma amiga eu estava animada e os planos para São Francisco tinham sido começado a ser feitos já em casa quando compramos os bilhetes para a prisão de Alcatraz.
Chegamos ao aeroporto na hora prevista e a diferença horária era de menos 11h, portanto era meio da noite no Dubai e meio da tarde em SF. Chegamos ao hotel, fizemos o check in, confirmamos os planos e horários para o dia seguinte e foi cada um para seu lado descansar para os seus quartos. Eu fui para o meu quarto, tomei o meu banho e mudei de roupa, mas por ser ainda meio da tarde eu não querer dormir, pois se fosse dormir depois ia acordar a meio da noite e ficar toda trocada, combinei então com a minha amiga comermos alguma coisa no restaurante do hotel. Seria uma espécie de almoço tardio e jantar muito cedo uma vez que deviam ser umas quatro da tarde. E assim foi, pelo que me apercebi de imediato SF é caracterizado pelo excelente marisco e também bastante em conta. Pedimos uns mexilhões, o prato chamava-se ''Mussels Marinieres'' com um molhinho delicioso e um prato que se chamava ''Lobster Quesadilla'', que era nada mais nada menos que lagosta mas envolvida numa espécie de crepe e cheia de queijo derretido que ainda se mergulhavam em 3 molhos fantásticos. Vou por as fotos em baixo para verem depois os petiscos. Escusado será dizer que nos lambuzamos as duas até os pratos estarem limpos e no final pagamos tipo 10 USD cada uma (uns 8 euros cada uma). Foi a primeira vez no que toca à prova da lagosta e adorei. Enquanto comíamos e porque as paredes que dão para fora são todas de vidro víamos um belo dia ensolarado a reflectir-se no lago que terminava mesmo no pátio de trás do hotel. Contudo estava vento. Muito vento. E cada vez que alguém abria uma porta que estava ao nosso lado as cortinas voavam e nós até tremíamos de frio.
Depois de comermos a minha amiga Nina deu-me a provar uns docinhos que tinha trazido de Taiwan seu país natal. Os docinhos eram muito bons e ela foi uma querida em dar-me a provar um pedacinho da sua relíquia, só quem mora fora do seu país sabe o quanto vale um docinho vindo de lá. Após a deliciosa refeição subimos, eu para o meu quarto e ela para o dela. Vi um filme,  ou parte dele e, por volta das 18h adormeci na esperança de que às 20h acordaria e iria jantar com o meu amigo Bruno, português que tinha chegado a SF na tarde anterior. O que acontece é que estava tão cansada que em vez de acordar as 20h para jantar acordei as 7h da manha. Dormi cerca de 13h tal era o cansaço.
Acordei as 7h as 8h era a hora que tínhamos combinado nos encontrar para pequeno almoço. Desci mais cedo, encontrei alguns colegas que estavam no outro grupo, o grupo sem bilhetes para alcatraz (é muito dificil de os conseguir no próprio dia) e mais tarde as meninas que iam a Alcatraz desceram também. Apanhamos um ''taxi'' do hotel para uma estação de comboio ali perto, Belmont era o nome. Pagamos cerca de 6$ ou 8$ USD (não me lembro bem) e este comboio, levou-nos até à estação San Francisco. Perto da estação de comboio fica o estádio de baseball da equipa Giants, eu queria ter ido assistir ao jogo que houve naquele dia mas a minha amiga tinha estado lá na semana anterior e já não estava com vontade de ir ver outro jogo, fica para a próxima.   Fomos a pé, com uma vista linda, pelos Piers até ao Pier numero 1, que era onde apanhávamos uma espécie de eléctrico que nos levava ao Pier 33 onde apanhávamos o barco para Alcatraz. Do Pier 1 para Pier 33 pagamos apenas 2$ USD. 
Mas valeu a pena, a viagem é bonita, rápida e parecia que estava no eléctrico do Porto ou Lisboa por alguns momentos. 
Chegadas ao Pier 33, fomos para o inicio de uma fila que dizia ''Alcatraz 12:30'' que era a nossa hora marcada da visita. A fila começou a andar e finalmente entramos no Barco que tinha 3 andares. Fomos para o andar de cima mas estava tanto frio e vento que tivemos que descer para o segundo. Especialmente porque eu estava de saia e sandálias (não era a única) mas se sabia como ia estar o tempo tinha ido de botas e polar. Passei um belo frio durante todo o dia.
A viagem de barco para Alcatraz é rápida, nuns 10 minutos estamos na ilha, o que demorou mais foi o embarque e desembarque de tantas pessoas que iam no barco.  Mal chegamos a Alcatraz vimos um letreiro a dizer: primeira explicação com a guia às 13h. Então eu e a Nina passeamos por ali um bocadinho até ser hora. Vimos uma vista deslumbrante de um céu azul, que se confundia com o mar, o sol estava por cima de nós e víamos também as dezenas de barcos à vela a correr de um lado para o outro. Adorei quando num certo momento, das muitas vezes que olhei em direcção a São Francisco  vi uns 8 desses barcos, todos branquinhos, com as velas também brancas e todos inclinados para o mesmo lado, parecia uma pintura perfeita. 
Ouvimos as explicações da guia, as inúmeras historias sobre os edifícios e sobre as tentativas de fuga dos prisioneiros e ouve uma que nos deixou a todos com mais atenção. A historia sobre os três indivíduos que fugiram e até hoje não se sabe se sobreviveram à baía ou não. Para quem tiver curiosidade em saber essa historia veja o filme Scape From Alcatraz que mostra exactamente o que a senhora nos disse e mostra também a prisão como ela é. The Rock ou A Pedra em português era outro nome para prisão, pela sua fama de nunca ter permitido que ninguém fugisse. Contudo em 1960, estes três senhores conseguiram escapar, o mais fantástico é que foi sobretudo utilizando colheres. Mas vejam o filme e depois comentem o que acharam. A prisão acabaria por fechar três anos depois em 1963, devido às más condições das infra-estruturas. 
Algumas curiosidades que achei interessantes: 
- A qualidade da comida era boa em comparação com outras prisoes para os presos se manterem contentes e aumentarem de peso, diminuindo as tentativas de fuga. 
- Tomavam banho com agua quente, para não se habituarem à agua fria da baía e também aí diminuir as chances de fuga. 
- Tinham campo de Andebol onde podiam jogar.

Depois da visita e já estando eu geladinha da cabeça aos pés, eu e a Nina decidimos separar-nos das outras 3 colegas, que não eram propriamente as pessoas com quem mais nós nos identificássemos (acontece quando se trabalha com 18 pessoas diferentes todos os dias) e fomos lanchar outra vez uma espécie de almoço tardio e jantar cedo.  Escolhemos o Pier 39 que tinha espaço chamado Fisherman's Wharf que é uma espécie de mercado, com lojas de comercio local, restaurantes, lojas de gomas, lojas de roupa,  electrónicos, entre outras.  Fomos comer a um restaurante de peixe ou marisco e batatas fritas,  T's Fish & Chips. A comida deliciosa. 
Depois disto fomos comer uma gelado e passear por lá, vimos os Leões Marinhos, que são a atracção local e quando anoiteceu fomos a outra restaurante um pouco mais longe dali, já de volta ao Pier 1, chamado Hog Island Oyster Ca. que nos foi recomendado. 
O restaurante tinha fila, o que era já um bom sinal tendo em conta que os dos lados estavam completamente vazios. A vista era fantástica, o céu agora escuro mas a ponte toda  iluminada fazia com que parecesse que estava num filme. Finalmente entramos e atribuíram-nos uma mesa, resolvemos pedir as ostras porque eu nunca tinha provas. Pedimos cruas e cozinhadas. Adorei as cruas porem não fiquem grande fã das cozinhadas.  O restaurante era mesmo agradável as as pessoas a nossa volta estavam vestidas de um modo super cuidado. Fazendo o lugar ser ainda mais agradável e bonito. Depois de provarmos mais umas delicias da casa, pusemos os pés ao caminho e desta vez voltamos de metro. Fomos até ao aeroporto, o bilhete custou 8$ USD e uma amiga da Nina foi-nos buscar de carro e levou-nos de volta ao hotel. Eram 22h quando cheguei ao quarto. Depois da rotina normal, fui dormir e no dia seguinte fui ao pequeno-almoço, vi uns filmes, dormi antes do voo e voltamos ao Dubai. 










Espero que tenham gostado, fiquem bem
beijinhos


Layover's Outfit:
Cardigan - Primark
Top - Zara
Shoes - Primark 

Comentários

Mensagens populares